Curso de Pressão Intraocular "Tonometria de Aplanação Ainda é o Padrão" Publicado na Glaucoma.com, Edição nº 3 - Setembro/Outubro/Novembro/Dezembro 2017

Autor: Rafael Vidal Mérula (MG)

O curso de pressão intraocular do XVII Simpósio Internacional da Sociedade Brasileira de Glaucoma foi uma excelente oportunidade para revisitar conceitos e avaliar novas estratégias de análise das medidas tonométricas. Diferentes tonômetros tem sido utilizados para aferição da pressão intraocular como o tonômetro de contorno dinâmico (Pascal), o pneumotonômtetro, o Tono-Pen e o tonômetro de rebote Icare®, porém o tonômetro de aplanação de Goldmann persiste como padrão-ouro. O valor da flutuação da pressão intraocular na progressão da neuropatia óptica glaucomatosa ainda permanece necessitando de melhor comprovação, no entanto, o pico da pressão intraocular medido ás 6 horas no leito tem se mostrado importante na definição de casos suspeitos de glaucoma e na identificação de casos com controles inadequados da pressão intraocular. Além disso, o pico da pressão intraocular identificado pelo teste de sobrecarga hídrica mostrou-se preditivo de progressões futuras no campo visual de pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto que estão na vigência de um tratamento antiglaucomatoso aparentemente adequado.

{T:ESCRITO_AUTORES}

A monitorização da pressão intraocular nas 24 horas através do sensor adaptado em uma lente de contato está sendo cada vez mais estudada, e alguns trabalhos já começam a verificar a importância dessa nova ferramenta diagnóstica especialmente em identificar casos que, mesmo sendo submetidos a tratamento hipotensor ocular preconizado, apresentam maior risco de progressão do dano glaucomatoso. Podemos destacar também que os estudos têm avançado no esclarecimento da influência das propriedades biomecânicas da córnea nas medidas da pressão intraocular e na evolução do glaucoma. Foi verificado, por exemplo, que uma reduzida histerese corneana medida pelo tonômetro de não-contato diferencial [Ocular Response Analyzer® (ORA)] está relacionada com uma perda mais acelerada da camada de fibras nervosas retinianas.

Referências

  1. Cronemberger S, Silva AC, Calixto N. Importance of intraocular pressure measurement at 6:00 a.m. in bed and in darkness in suspected and glaucomatous patients. Arq Bras Oftalmol. 2010;73(4):346-9.
  2. De Moraes CG1, Susanna R Jr, Sakata LM, Hatanaka M. Predictive Value of the Water Drinking Test and the Risk Glaucomatous Visual Field Progression. J Glaucoma. 2017 (online).
  3. Zhang C, Tatham AJ, Abe RY, et al. Corneal Hysteresis and Progressive Retinal Nerve Fiber Layer Loss in Glaucoma. Am J Ophthalmol. 2016;166(6):29-36.
#COMPARTILHE nosso conteúdo

Quer saber mais? Faça sua pergunta!