Curso de Pressão Intraocular "A Córnea e sua Biomecânica" Publicado na Glaucoma.com, Edição nº 3 - Setembro/Outubro/Novembro/Dezembro 2017

Autor: Ruiz Simonato Alonso (RJ)

Na aula de biomecânica destacamos que os tecidos assim como materiais elásticos, apresentam uma relação entre força aplicada e deformação: cessando a força o formato original é recuperado. Esse conceito é fundamental para o entendimento das propriedades biomecânicas da córnea, um tecido visco-elástico. Estudar a biomecânica busca melhor compreensão da pressão intraocular, pois vai além dos parâmetros de espessura e curvatura. Hoje dispomos de equipamentos para a avaliação destas propriedades para uma medida mais acurada da pressão intraocular. Destacamos o estudo da córnea realizado com o Ocular Response Analyzer® (ORA) e com o Corvis ST.

{T:ESCRITO_AUTORES}

O ORA, analisa dados encontrados na aferição da pressão intraocular realizada pela tonometria de sopro. Reconhece a diferença das pressões obtidas durante momentos da aplanação determinando a histerese corneana e a pressão intraocular. O Corvis ST, utiliza a tonometria com pulso de ar integrado a uma câmera de Scheimpflug de altíssima velocidade, possibilita monitorar a resposta da deformação obtida durante o exame. O estudo da biomecânica apresenta rápida evolução com resultados promissores. A avaliação da pressão intraocular, algum dia, poderá ser modificada e aprimorada de acordo com a resposta biomecânica individual.

#COMPARTILHE nosso conteúdo

Quer saber mais? Faça sua pergunta!