Curso de Disco Óptico "Anatomia e Fisiologia Complexa, Avaliar Disco Óptico Ainda é um Desafio" Publicado na Glaucoma.com, Edição nº 3 - Setembro/Outubro/Novembro/Dezembro 2017

Autores: Clarice Freire Dayrell de Souza (MG) e Rodrigo Brazuna (RJ)

O Curso de Disco Óptico foi uma ótima oportunidade para rever conceitos e ampliar o conhecimento sobre o tema. O glaucoma é uma neuropatia óptica crônica e progressiva, que cursa com alterações morfológicas na cabeça do disco óptico e camada de fibras nervosas da retina (CFNR). Seu diagnóstico, estadiamento e análise de progressão, estão atrelados ao profundo e criterioso conhecimento anatômico e funcional da cabeça do disco óptico e por isso, todo oftalmologista, generalista ou não, deve ser capaz de identificar os sinais precoces da alteração glaucomatosa.

{T:ESCRITO_AUTORES}

O nervo óptico é uma estrutura de anatomia e vascularização complexa, de difícil acessibilidade, sendo que sua lesão estrutural ocorre anterior à funcional. Por isso a incessante busca por novas tecnologias, visando uma análise computadorizada do dano estrutural da cabeça do disco óptico, cada vez mais precisa. Mas, independente do advento dessas novas tecnologias, o padrão ouro para registro e acompanhamento da lesão glaucomatosa continua sendo a estereofotografia de papila. Isto porque este é um exame que, bem feito e analisado por oftalmologistas treinados, ainda é o único que possui interpretação e comparação universal, independe do aparelho utilizado ou ano realizado, podendo ter sensibilidade em torno de 70%.

Neste curso, foram apresentadas excelentes aulas sobre o disco óptico normal e suas alterações vasculares, da rima neural, região peripapilar, camada de fibras nervosas da retina, além da análise do disco óptico suspeito nos míopes e nos extremos dos discos pequenos e grandes. Vale destacar a aula ministrada pelo Dr. Ralph Cohen, que revisou as alterações que simulam o glaucoma. Com isso, conseguimos fazer um apanhado geral sobre o tema e reafirmar que, juntamente com a história do paciente e seus fatores de risco, a avaliação propedêutica da cabeça do disco óptico é uma das principais ferramentas para o diagnóstico do glaucoma.

#COMPARTILHE nosso conteúdo

Quer saber mais? Faça sua pergunta!